Thursday, December 29, 2016

2016 in review - the good, the bad & the ugly

As the year is approaching to its end, I can honestly say: it was about time!
What a year....

To me, it feels like 2016 was a roller coaster at the speed of light. Went from its best to its worst in a blink of an eye.

Still remember, starting 2016 full of hope, positive thinking and most of all, seeing it as a blank canvas where I could try to write the best story I could ever come up with.
Guess what? I didn't.
Not that I didn't try, because I did, but every time I tried to make something good of it, life had something else in mind.

In bullet points here's my 2016 in review:

The good:
Birthday in NYC
Became a home owner 
The project I've been working on it finally got out "for business"
Portugal won the EuroCup

The bad:
Had a trip planned for the day that the Brussels attacks happened; luckily I changed my flight...
My car was strained at Brussels airport
No summer vacation
No beach
Got a debt for the rest of my life
Got checked for breast cancer
Had a burglary in my house
My camera got stolen
Lost the sense of safety/security
The World is a f*cked up place
Trump became president
Miss my family (which gets smaller by the second) and true friends

The ugly:
My grandmother died 😢


So yeah.... It has been quite something this year.
Do I look back with a smile? No.
Do I look forward with a smile? No.
Am I looking forward for 2017? Not really.
Should I? Perhaps...

But you know what? F*ck you 2016!

Source: Google.com

And for you 2017 around the corner: you better nice!! 
Hope your 2016 had been much better. 

Best wishes for 2017!

P.S.: A big thanks to all the people that in one way or another were there with & for me throughout 2016. I will never forget....
Next post:January 1st 0am CET
SHARE:

Saturday, December 24, 2016

Happy Holidays!!!!

Hi everyone!

First of all, I would like to wish Happy Holidays to everyone celebrating them.
May your days be filled with joy, health, love, good food and drinks, peace in your hearts and surrounded by those who you love the most.

Well, like Santa is saying: we're closed for the next days!
Time to be together family and loved ones, and treasure these moments.

For those who may be crossing tough paths; here's a big hug! There will be brighter days ahead.


Source: Google.com


The blog will be back on December 30th at 9am CET and from that point on, every Monday at the same time with a new blog post online for your (and mine) entertainment.


Wish you all a Merry Christmas!



P.S.: Let's remember those who cannot be with us anymore; you will be forever missed....


Next post: December 29th 9am CET

SHARE:

Monday, December 19, 2016

Rituais de “migras”

Isto de ser emigrante (soa tão a Linda de Suza...) tem muito que se lhe diga. Nada de novo para quem esteja a ler e o seja ou conheça alguém na mesma situação.

Nunca me ocorreu o verdadeiro significado de ser emigrante. Até que de vez em quando páro para reflectir no assunto, e não deixo de observar uns factos ou rituais bastante engraçados (pelo menos pra mim são haha).


Source: Google.com

Isto cada maluco com a sua, não é verdade?! 
Os meus rituais de emigrante mais marcantes e frequentes são os seguintes:
  • Viajar com malas vazias ou dentro umas das outras. 
Se for de visita apenas num fim-de-semana, 50% da minha mala de cabine vai vazia! Há que deixar espaço para trazer uns chouriços, queijos, pão, caldo verde... essas coisas boas que cá não há. 
Se ficar por mais tempo, a mala de porão vai garantidamente vazia e volta cheia... 
  • Combinar a periocidade das visitas com idas ao cabeleireiro 
De certeza que na cidade onde moro há bons cabeleireiros, mas também sei que só confio num onde ir! E calha ser em Portugal... Pancadas, eu sei, mas não há nada a fazer! Só corto o cabelo em PT, period!
  • Ouvir piadas do pessoal da segurança dos aeroportos assim que lhes digo o que trago na mala
Já perdi a conta ao número de vezes que me perguntaram se o caldo verde já tava feito, ou se levo os pasteis de Nata ou de bacalhau... Coisas desse género. Sempre temos uns 2 minutinhos de conversa e lá me desejam boa sorte, boa viagem e até breve.
  • Dar o discurso de emigrante ao pessoal do balcão de check-in na esperança de não me ser cobrado nenhuma taxa extra pelo excesso de peso (as garrafas de vinho pesam que se fartam!!!).
True story... não vale a pena! Isto de querer trazer o Jumbo, Pingo Doce e o Continente inteiros dentro da mala dá quase sempre chatice. Chego até a deixar coisas para trás (em casa da minha mãe) para evitar ainda mais kg extra. Chegou ao ponto de me dizerem no check-in que não valia a pena fazer “carinha de cachorro abandonado”. Também não tive que pagar extra pelos quase 3 kg a mais!! Hahaha Já inventavam umas garrafas de vinho ultra leve...
  • Dou por mim embasbacada a olhar para as bancadas nos mercados/supermercados 
Não gozem! Só quem já visitou um supermercado normal aqui na Holanda é que vai saber do meu suplício.... #dramademigras

Acho que estes são os mais comuns... LOL

E vocês também têm alguns rituais, caso sejam emigras? Ou conhecem os rituais de alguém?? Partilhem; não me quero sentir só neste meu drama... Maluca sim, mas acompanhada, sff.

Até breve!




Next post: Decmber 24th 9am CET

SHARE:

Monday, December 12, 2016

Photography | A new adventure

Hello!

Ever since I got my camera, I have been trying to take more photos and get better at it, but like with anything else, I have realized that it really takes time and effort to see some results.
In the beginning, I basically just shot in auto and slowly changed some settings to see what would happen; never I thought about JPG/RAW formats. If only I knew....

Since a few weeks, I have been spending some time reading information about all technical specs of the camera and understand every single mode.
At this moment, I have the kit lens only, which for my level is quite good I think; at least there is still room for improvement and learning with this setup I've got now.
So far, my favorite mode to shoot is Aperture mode, though, I sometimes still get a bit confused with those funny numbers and all. I think should refresh my knowledge in optics... :-) *shame*

The photo below, I had to do some touch ups on Lightroom since the original was a bit over exposed due to high ISO, but here the goal was to play around with the night-shooting mode that the camera offers.

Maastricht - December '15 - by Miss B
My goals on a short term are:
- Always shoot in raw format.
- Learn how to use the Shutter mode.
- Improve night photos.

Please, leave your feedback not just on this picture, if you will, but also let me know some tips & tricks. I'm still a newbie, so please keep that in mind. :-)

Have a good week!

See you soon!!

Photo details:
Sony a5100 25mm f/4.5 1/8s
SHARE:

Monday, December 05, 2016

Então e os coffeeshops?!

Para o comum dos mortais, morar na Holanda ou visitar o país é sinónimo de visita obrigatória a um (ou mais para os amantes da coisa) coffeeshop.
Compreensível para quem vem de países onde o consumo é proíbido e gosta de fumar a sua “joint” de vez em quando.
Agora para vosso espanto, as coisas não são assim tão simples!

Comecemos pelo princípio, já lá dizia o outro.
Quando me mudei para a Holanda, em 2011, coffeeshops eram como outra loja qualquer. Abertos a qualquer pessoa, residente ou turista, em qualquer vila ou cidade do país, sem restrições. Afinal de contas, a Holanda sempre foi conhecida por ser um país p’ra frentex, e portanto, ir a um coffeeshop era quase como ir beber uma bica com os amigos assim ao final de um dia de trabalho.

Mas a coisa mudou!
Calma...
Não mudou em todo o lado.

Pra quem visita as grandes cidades, não há qualquer problema (tanto quanto sei!), portanto não precisam de desmarcar a viagem para A’dam (diminutivo para Amsterdão em Holandês).

Então em que é que ficamos?! Ficamos naquela grey-zone.
Acho que foi em 2013 se a memória não me engana, as regras mudaram e foi introduzida uma restrição a quem pode ou não ser cliente dos coffeeshops. O problema levantou-se porque vilas/cidades fronteiriças tinham o chamado “coffeshop tourists”; pessoas que se deslocavam exclusivamente para irem a estes locais. O que tinha isso de mal?! Também não sei...
Foi então proibido o acesso a quem não fosse residente, e passou a ser obrigatório ter o “weed pass” ou “coffeeshop pass”...... No comments.
Resumindo e baralhando, pelo menos na cidade onde moro, os donos dos coffeeshops revoltaram-se e fecharam durante tempo indeterminado como forma de protesto.
Consequência?? A óbvia; começou a haver tráfico na rua....
Source: Google.com
Lá se devem ter entendido, e agora, alguns já reabriram (mas muitooo menos). Nunca mais se ouviu falar do “weed pass”...

Agora assim a jeito de resumo:
Nem toda a gente que mora na Holanda é cliente assíduo dos coffeeshops.
Nem todos os turistas são “coffeeshop tourists”.
Se querem jogar pelo seguro vão a A’dam; lá tenho a certeza que continua a ser livre para todas as pessoas, residentes ou não.

Moral da estória (sim!! Estória e não História):
Complicaram algo que não valia muito a pena complicar.
Mais burocracia.
Mais tráfico nas ruas nas vilas/cidades em que a restrição ainda se impõe.
Há muito mais para ver/visitar na Holanda que os coffeeshops ou A’dam! 

Boa semana!

Até breve!

SHARE:
© Porty's Diary. All rights reserved.
Blogger Templates by pipdig